Português Italian English Spanish

Crescem as denúncias de irregularidade na vacinação em Campos

Crescem as denúncias de irregularidade na vacinação em Campos


O PREFEITO MANDA E SECRETÁRIO NÃO OBEDECE

Após ser cobrado pelo Ministério Público quanto à ausência de transparência na divulgação da relação das pessoas vacinadas, o prefeito Wladimir Garotinho determinou que o Secretário da Saúde mandasse para publicação no diário oficial tal relação.

A determinação de Wladimir ocorreu em 02 de fevereiro passado, porém, contrariando o que foi determinado, se criou um link onde aparece uma relação de nomes e não no diário oficial como determinado.

Ao final da matéria será apresentada a planilha com relação nominal dos vacinados, sendo que essa informa só os dados do mês de janeiro, ou seja, desatualizada.

AS DENÚNCIAS

Diante da falta de transparência em relação a quem de fato está sendo vacinado, mensagens em redes sociais dão conta que existe uma listagem paralela que contempla indicações de vereadores e secretários do governo Municipal.

Há também denúncias de apresentação de declaração falsa, além de estudantes da área de saúde matriculados no primeiro período, que sequer estão em aulas presenciais, estão sendo imunizadas.

PREFEITO DEVOLVE PARA O MP SUA OBRIGAÇÃO

Se de fato Wladimir tem conhecimento que irregularidades estão ocorrendo, por qual a razão não se determinar rigor na apreciação destas. Após ser aplicada a vacina é não pode ser confiscada, dessa forma, coloca em risco as pessoas que devem ser imunizadas e estão sendo preteridas em razão da pouca quantidade de vacinas disponíveis.

Em seu perfil nas redes sociais Wladimir reconhece que há denúncias e mesmo afirmando que não tem compromissos com ilegalidades se exime de qualquer responsabilidade, conforme a postagem abaixo. 

 

DA VACINA COMO ATO POLÍTICO

Diante da pressão de alguns setores, acrescido da lei aprovada pela Câmara de Campos que contempla o magistério como categoria a ser priorizada, Wladimir manda postar nas redes sociais do Município a informação que cabe ao Governo Federal, através do Ministério da Saúde, estabelecer os grupos prioritários.

 

Em clara demonstração do uso político da campanha de vacinação da covid-19, ante a comoção pelas recorrentes mortes de agentes da Guarda Municipal, Wladimir Garotinho acompanhado de dois vereadores anuncia a imunização dessa categoria.

Reforça o uso político da campanha de vacinação quando do anúncio quando ele só contempla estes profissionais, mas não os demais da segurança pública, ficando de fora Policiais e Bombeiros Militares, Policiais Civis e Penais, além dos agentes do DEGASE.